Você precisa ler: “Gentil como a gente”!

Desde que li que teria um livro dela, simplesmente pirei e o queria logo em minhas mãos.

Fernanda Gentil é jornalista, apresentadora da Globo, se destacou na Copa do Mundo de 2014 pelo seu jeito único na comunicação e até se tornou musa da competição. Mas pra quem pensa que ela fala só de Esporte e se destaca apenas na TV, se enganou. A loira começou a fazer o maior sucesso em seu blog (gentilbraga.com), contando situações do cotidiano com seu (ex) marido e eu já adianto: prepara a barriga, porque a risada é garantida! No dia em que eu descobri seu blog, passei horas e horas lendo TUDO! Mais uma alerta: você vai se apaixonar pelo casal “Mocinha e Momô” e seu conceito de amor vai subir um patamar muito mais alto, os companheiros que se preparem, porque querer entrar em um relacionamento como o deles é transmitido, é inevitável! É com muita leveza e bom humor que ela conta pra gente as mais variadas situações que já passou, desde o dia em que conheceu o companheiro (nas festa dela de 15 anos), até a chegada do primeiro, e até agora único, filho (que nasceu no ano passado e inclusive divide comigo, e milhões de pessoas claro, o dia 28 de Agosto <3)

O livro tem um formato bem diferente do que eu imaginava, é menor e traz os contos exatamente como em seu blog: texto centralizados e imagens por todas as páginas, ilustrando as reações dos personagens durante a história. E, na verdade, até mesmo as mesmas histórias. Confesso que isso talvez tenha me decepcionado um pouco, porque, como eu disse, já tinha lido seu blog todo e esperava que tivessem novas aventuras. Mas de qualquer forma, teria comprado, primeiro porque o livro é lindo (e eu dou muito mais valor à ter o livro do que simplesmente ler na internet) e segundo porque acho que é tudo muito inspirador e agora vou ter as histórias pra me divertir quando quiser. Ah!!! E entre as história te aqueles códigos QR, que mostram vídeos pessoais delas.

Acho que o que mais me surpreendeu foi o último texto, em que ela fala da chegada do filho e sobre o fim do seu relacionamento. Por incrível que pareça, eu não sei onde passei esses últimos 2 meses e ainda não sabia da notícia, então foi algo que me deixou meio “What?”, mas também me inspirou a escrever um texto aqui no blog: “E foram felizes para sempre?”. Vale muito, muito, muito a pena, se não comprar o livro, pelo menos ler o blog, que tem algumas histórias que não entraram no livro. É muita inspiração, é muito suspiro por minuto, mas principalmente, é muito divertido, o tipo de leitura que eu particularmente AMO!

 Vocês também podem me seguir nas redes sociais:

Snapchat: nayrosolen ↠ Facebook ↠ Instagram ↠ Twitter  

Beeeijos ❤

Sobre aprender a aproveitar a própria companhia!

large (14)

Era só uma noite qualquer, como todas as outras que ela adorava ficar olhando para as luzes fora da janela e ficar imaginando coisas, que poderiam ou não acontecer, ela sabia que só dependia dela, nunca foi fã de apenas sonhar… Apesar de ser a parte mais mágica, tornar realidade se parecia ainda mais prazeroso… E desafiador. Ela adorava se sentir desafiada, pelos outros ou por ela mesma. E foi o que ela fez, depois de mais uma daquelas crises existenciais que vez ou outra aparecem. Energia era uma coisa que presava muito e algumas pessoas, infelizmente, só sabem sugar. Ela precisava mesmo era de vento na cara, ver pessoas de todos os tipos em um mesmo lugar, andando de um lado para o outro, escutar sons que vinham de todos os cantos, formando a melhor trilha sonora com a mistura de culturas. Mesmo que pudesse escutar da onde estava, ainda parecia muito abafado naquele clima que a cercava, vai saber. Precisava mesmo era aprender a fazer coisas das quais gostava sozinha, sem se sentir solitária.

Um filme que provavelmente a faria chorar, não era uma das melhores opções. Escolher à dedo um lugar no meio de dois casais apaixonados, poderia parecer ainda mais masoquista. Mas lá estava ela, depois de ter renovado sua energia pelas ruas da cidade, conversado com algumas pessoas bem humoradas (quando a gente tá carente de positividade é assim, qualquer sorrisinho vindo de outro ser, já faz a gente se sentir em outro mundo) e desabafado por mensagem por algum tempo enquanto almoçava algo que iria desejar não ter comido quando suas dores gástricas começassem. Disfarçando para que ninguém percebesse que além de sozinha, o ser ainda se encontrava em crise.

Mas ela precisa admitir, não foi tão ruim assim. O filme até que a fez dar boas risadas e nenhuma lágrima caiu (mania feia de não conseguir chorar na frente de outras pessoas), ela entendeu que quando o ombro é verdadeiro ele ainda te recebe mesmo há quilômetros de distância e que algumas dores, mágoas e até mesmo raivas, têm o devido tempo à serem superadas e isso pode durar bons anos, entre idas e voltas do sentimento. Mas ela percebeu, acima de qualquer coisa, que para ser feliz e fazer o que gosta, não precisa de mais ninguém além dela mesma.

Ah, e um pouco antes da história começar, apareceu uma pessoa, que também estava sozinha e também sentou no meio daqueles mesmos casais. Ela ficou se perguntando se ele sabia que também estava caindo naquela cilada, mas se sentiu até um pouco confortável de não ser a única. Apesar de nenhuma palavra ter sido trocada, sabiam que no meio de tantos beijos e sussurros vindos dos lados, enquanto soltavam risadas simultâneas, não estavam sozinhos. Algumas olhadas de canto, que ela percebia, mas não dava o braço a torcer eram como se dissessem “tudo bem, também não tenho com quem dividir esse momento, mas sozinho por sozinho, acabamos compartilhando juntos”. Vai ver ele também estava passando pela mesma situação, quem sabe. A vida tem dessas. Energias que se atraem, almas sozinhas que se encontram no meio do caos.

Basta se permitir.

Nayara Rosolen

5 Filmes que irão estrear nos próximos dias!

Se tem uma coisa que 2016 está trazendo, são filmes incríveis!!! Todo mês tem lançamento nos cinemas que dá vontade de sair correndo garantindo o ingresso. Recentemente (16 de junho) foi lançado “Como eu era antes de você”, adaptação do livro de JoJo Moyes para as telonas e, olha, não deixou a desejar não! Já tinha lido o livro há dois anos e estava ansiosa pelo longa… É tão lindo quanto eu imaginava lendo as páginas. Fora todos os outros que foram estreados desde janeiro.

Depois de fuçar quais seriam os próximos lançamentos, encontrando alguuns que eu já sabia e outras que não, decidi fazer esse post compartilhando com vocês quais sucessos estarão animando todo mundo nos cinemas. Anotem as datas e não se esqueçam da pipoca, porque o primeiro já um dos mais aguardados (há anos):

1 Procurando Dory (30 de junho)

Gênero: Animação/Comédia

images

Um ano após ajudar Marlin (Albert Brooks) a reencontrar seu filho Nemo, Dory (Ellen DeGeneres) tem um insight e lembra de sua amada família. Com saudades, ela decide fazer de tudo para reencontrá-los e na desenfreada busca esbarra com amigos do passado e vai parar nas perigosas mãos de humanos.

2 Porta dos Fundos – Contrato Vitalício (30 de junho)

Gênero: Comédia

contrato-vitalicio-poster-porta-dos-fundos-final

Miguel (Gregório Duvivier) e Rodrigo (Fábio Porchat) são dois amigos que costumam realizar filmes juntos. Certa ocasião, um de seus filmes ganha um prêmio importante em um festival internacional. Animados com a premiação, os dois saem para comemorar e Rodrigo assina, em um guardanapo de bar, um contrato vitalício que garante que ele estaria em todos os filmes de Miguel dali para frente. No entanto, Miguel desaparece e só retorna dez anos depois. Quando reaparece, ele leva para Rodrigo, agora um ator consagrado, a proposta de um filme insano que pode destruir sua carreira.


3 Florence – Quem é essa mulher? (07 de julho)

Gênero: Biografia/Comédia dramática

76391b0fd3c86f3c398963dd5eae6193_XL

Florence Foster Jenkins (Meryl Streep) é uma rica herdeira que persegue obsessivamente uma carreira de cantora de ópera. Aos seus ouvidos, sua voz é linda, mas para todos os outros é absurdamente horrível. O ator St. Clair Bayfield (Hugh Grant), seu companheiro, tenta protegê-la de todas as formas da dura verdade, mas um concerto público coloca toda a farsa em risco.

4 A Última Premonição (14 de julho)

Gênero: Terror

520783.jpg-c_215_290_x-f_jpg-q_x-xxyxx

Uma jovem mulher (Isla Fisher) sofre um grave acidente de carro, e sobrevive por pouco. Enquanto se recupera, começa a ter estranhos pesadelos, que os médicos descrevem como consequências comuns do trauma que viveu. Pouco depois, ela se descobre grávida, e muda para uma nova casa com o marido. Mas as visões tornam-se cada vez mais graves e violentas, ameaçando todos ao redor.

5

5 Caça-Fantasmas (14 de julho)

Gênero: Ação/Comédia/Fantasia

100171.jpg-c_215_290_x-f_jpg-q_x-xxyxx

Atualmente uma respeitada professora da Universidade de Columbia, Erin Gilbert (Kristen Wiig) escreveu anos atrás um livro sobre a existência de fantasmas em parceria com a colega Abby Yates (Melissa McCarthy). A obra, que nunca foi levada a sério, é descoberta por seus pares acadêmicos e Erin perde o emprego. Quando Patty Tolan (Leslie Jones), funcionária do metrô de Nova York, presencia estranhos eventos no subterrâneo, Erin, Abby e Jillian Holtzmann (Kate McKinnon) se unem e partem para a ação pela salvação da cidade e do mundo.

Todas as Sinopses foram retiradas do site Adoro Cinema

 Vocês também podem me seguir nas redes sociais:

Snapchat: nayrosolen ↠ Facebook ↠ Instagram ↠ Twitter  

Beeeijos ❤

Blá blá blá com a Nay: “Casei antes dos 20”

Já adianto que: Esse é o maior post que já tivemos aqui no blog, mas calma, não feche a janela e nem pare de ler… É por um bom motivo, ele tem muito a nos ensinar e inspirar!

Lembram que fiz um post esses dias dando alguns avisos e dizendo que iria querer trazer os leitores para dentro do blog falando sobre alguns assuntos? Pois então! Esse é o primeiro post dessa nova série, mas para que continue, preciso que vocês me ajudem, dizendo o que acham e quais assuntos vocês querem ver por aqui (Podem me mandar por e-mail também: nayararosolen@hotmail.com)!

O primeiro é um tema um pouco raro nos dias de hoje: Casamento jovem, antes dos 20 anos (ou pertinho deles)! E para falar sobre isso, eu não poderia te convidado outro casal, simplesmente porque eles são os mais fofos do mundo e eu tive a honra de poder fazer parte dessa história! O papo foi TÃO legal, eu amei tanto falar com eles e saber um pouquinho mais dessa história e de como é aguentar toda essa barra tão jovem, que não deu em outra: o papo foi longo! Mas, acima de tudo, foi lindo e fofo, um verdadeiro exemplo.. Não tive coragem de cortar muitas coisas! Leiam até o final e eu garanto: vocês irão se apaixonar!

Pra quem não sabe, esse casal já foi mencionado aqui no blog, em um texto especialmente para eles, que eu escrevi quando tive a honra de ser convidada para ser madrinha: MINHA AMIGA VAI CASAR (WHATTT!?).

Primeiramente, lhes apresento os protagonistas dessa história: Emília e Roberto!

13321819_792664797537235_3522333426409931592_n.jpg

“Conta pra gente, como vocês se conheceram?”

Emília: Ele morava com os pais dele, do lado da casa da minha tia. Eu fiquei sabendo da existência dele final de 2013, mas foi em fevereiro de 2014 que a minha tia fez uma brincadeira. As casas deles eram no mesmo quintal, e eu estava fazendo faculdade de Gastronomia. Um dia eu estava na casa da minha tia de tarde, quase na hora da janta, ela falou “Aí, vem aqui na porta pra você sentir o cheiro da comida do filho do Pézinho (apelido do pai do Roberto), que comida cheirosa”, aí eu falei “Nossa, tia, que legal, esse dá pra mim mim hein” (espertona), aí ela falou “Olha, ele tá solteiro, dá pra vocês namorarem, porque pelo jeito ele cozinha muito bem” ai eu “Aí tia, só a senhora mesmo”. E ele trabalhava com meus primos, a Juliana e o Ronaldo, na rádio. No mesmo dia meus primos chegaram e começaram a zoar que a gente tinha que namorar e começaram a intermediar entre a gente.

Roberto: Daí ele começou a mostrar o Facebook dela, começou a mostrar as fotos, depois a Ju começou a me bombardear, perguntando meu número, se eu era solteiro, essas coisas.

Emília: Só que era assim, ao mesmo tempo que eles falavam pra ele que eu estava afim, eles falavam pra mim que eu tinha que investir porque ele era muito tímido (e é até hoje). Dai eu peguei e mandei convite no Facebook, ele me aceitou tudo. Aí ele me cutucou e começou essa palhaçada de um cutucar o outro. Um dia eu tava na casa da minha amiga Luana e ela disse que se ele me cutucasse mais uma vez, eu ia chamar ele. E aí eu chamei e a gente começou a conversar. Um dia cheguei da faculdade e mandei mensagem dizendo que eu estava afim dele, daí ele me bloqueou e sumiu do mapa. Eu comecei a vender esfiha e fui vender pra mãe dele (já queria conquistar a sogra pela barriga), o irmão dele me viu, disse que eu era real e que era pra me desbloquear. Aí a gente voltou a se falar.

“Vocês moravam juntos antes de se casarem, certo? Quanto tempo isso durou até tomarem a decisão e por que decidiram se casar e não apenas continuarem morando juntos?”

Emília: É que foi assim, como tudo no nosso relacionamento, quem tomava as decisões era eu. Eu que chamei ele pra conversar, eu que pedi pra ficar com ele e basicamente eu pedi ele em casamento. Eu não fui pedida em casamento, mas quem teve a ideia de casar fui eu (risos). A questão de morar junto é que a gente tava namorando há 6 meses e eu precisava ir embora pra Maringá pra estudar, por causa de estágio e também porque teve o acidente da van, fiquei traumatizada, vida de estrada não dava mais pra mim e ele também não queria mais isso. Aí eu mudei pra Maringá em Janeiro de 2015, a gente ficou a distância, ele em Borrazópolis e eu em Maringá. Só que ele não podia ir pra Maringá por conta do serviço e eu não podia ir pra Borrazópolis direto por causa dos estágios. A gente tava brigando muito, a saudade, a distância era longe, aí ele começou a mandar curriculum pra Maringá até que um dia foi chamado. Ele foi fazer a entrevista, eles gostaram e queriam contratar ele, era pra ele voltar na segunda já como experiência. Aí ele voltou pra casa dele…

Roberto: Só que tinha que cumprir o aviso.

Emília: Aí como ele ficou 30 dias cumprindo aviso, perdeu o emprego pra lá. Acabou que como ele já tinha pedido pra sair, ele pegou o aviso e foi pra Maringá. Depois ficou um tempo procurando emprego e a gente ficou morando junto… Quando foi em julho, ele já estava ficando desesperado porque não arrumava emprego. Aí uma tia minha que é evangélica chegou em mim e me deu um conselho muito bom, que eu vou levar pro resto da vida. Ela falou assim que na vida deles tem coisa que ela paga até hoje, porque no passado ela fez errado, que ela não esperou, casou grávida. Então ela disse que se a gente tomasse a decisão de casar, Deus ia abençoar bem mais a vida da gente. Aí eu conversei com a minha mãe, disse que estava me sentindo mal, porque a nossa vida não estava indo pra frente, que era uma forma de Deus mostrar que isso não estava certo. Aí disso a gente começou a planejar o casamento pra dezembro. A gente foi embora pra Maringá e na segunda feira ele recebeu uma ligação e arrumou um emprego. Então a gente não se arrepende de ter tomado a decisão de casar.

“Você disse antes que não teve um pedido, não rolou esse momento? Como foi?”

Emília: Não, não teve e eu jogo isso na cara dele até hoje (risos). É que na verdade foi assim,  eu tava conversando com a minha mãe, que ele não tava conseguindo emprego, que tinha vários lugares, mas nenhum chamava ele, aí minha mãe chegou e falou “Não, então vamos fazer o casamento, já que você quer”. Ele tava na casa da mãe dele, chamei ele e falei o que estava falando com a minha mãe… Basicamente eu pedi ele em casamento.

Roberto: Ela e minha sogra me pediram em casamento.

“Tiveram algum receio pelo tempo relativamento curto em que tudo aconteceu?”

Emília: Eu não.

Roberto: Nem eu.

Emília: É porque tanto eu fui a primeira namorada dele, quanto ele foi meu primeiro namorado e como eu já tinha 18 anos, a gente já tinha uma maturidade maior do que quem começa a namorar com 14, 13 anos…A cabeça já é outra, já fazíamos faculdade e a gente sempre foi muito maduro pra nossa idade. O nosso relacionamento foi evoluindo muito rápido, parece que a gente já se conhecia há anos. Se eu acreditasse em outras vidas, eu não acredito, mas eu diria que nosso amor veio de outras vidas. Antes mesmo de dar o primeiro beijo, tanto a minha família quanto a dele sabia que a gente tava conversando. A gente deu o primeiro beijo, dali a uma semana ele já foi na minha casa pedir pra minha mãe pra namorar, depois de 6 meses a gente tava morando junto, depois de 6 a gente tava planejando o casamento tanto que a gente não tem nem 2 anos de relacionamento, a gente faz 2 anos agora em julho, são 2 anos, mas parece que a gente se conhece há 10, 20.. A gente tem uma sintonia de um casal que tá há 7, 8 anos junto. Ele sustenta a nossa casa, é um casal como qualquer outro que casou com 28, 30 anos.

“Como foi contar para a família e quais foram as reações deles e dos amigos?”

Emília: Sem dúvidas foi a pior parte, pelo menos pra mim. E pra você?

Roberto: Pra mim foi bem tranquilo, porque foi a partir daí que a família sossegou, tava todo mundo “Aí, ta morando junto, tá errado”. Eu sofria muita cobrança por parte de pai e mãe, a gente não esconde isso, a Emília sabe bem, o pessoal todo é contra, porque a família é católica até a veia, era contra de morar junto sem casar, então a partir do momento que a gente falou que ia casar, como sou o primeiro neto por parte de mãe, todo mundo ficou muito feliz com a notícia, foi bem tranquilo de contar.

Emília: Pra mim já foi totalmente diferente, porque na família do Roberto todo mundo casou muito novo, a mãe dele casou com 14 anos, então pra eles era outra coisa. Já pra minha família não, todo mundo estudou primeiro pra depois casar, até que minha mãe casou grávida e aí do meu lado veio a pressão de “não casa, você é muito nova, você não terminou os estudos ainda” porque na época eu tava fazendo faculdade, agora já sou formada. Só minha mãe, minha mãe apoiou muito, meu pai e minha irmã também. Minha mãe e minha irmã são apaixonadas nele, amam mais ele do que me amam, se bobear (risos). Foi engraçado, porque quando fui contar pro meu pai, ele achou que eu estava grávida. Mas minhas primas, minhas amigas… Minhas amigas no geral não, até porque tenho uma amiga chamada Nayara (soy yo!) que gostou muito (gostei mesmo, da mesa de doc… quero dizer, de ser madrinha principalmente!). Mas algumas amigas, as amigas mais imaturas já não gostaram, ficaram todas contra, que eu era muito nova, que eu tava fazendo errado, que eu tinha muita coisa pela frente, que era muito pouco tempo de namoro. Porque hoje em dia a sociedade tá acostumada com namoro de 10, 12 anos… Então na minha parte foi bem mais difícil e a parte dele bem mais compreensiva.

“Vocês tiveram aí uns 6 meses de planejamento para a cerimônia, certo? Como foi planeja tudo? Rolou muito stress, apareceram barreiras?”

Emília: Tudo né. Porque planejar um casamento em 6 meses pra 250 pessoas é loucura, já falo, não recomendo! Segundo que eu tava na faculdade no último ano e tinha um TCC pra entregar em novembro. Então era o TCC na faculdade, o casamento, era fim de ano porque eu resolvi casar no dia 26 de dezembro…

10592733_922940514421154_7043283882665485841_n

Roberto: A escolha da data não foi aleatória, porque o pai dela mora no Acre, ele tinha que estar na cerimônia e ele só vem final do ano, então a gente escolheu a data pra poder estar todo mundo, 26 de dezembro, já reunia todas as famílias, já passava o Natal todo mundo junto e ia para o casamento, só que o nome da Emília nesses 6 meses se tornou “Stress”, ela era uma pilha de nervos com tanta coisa que ela tinha pra cuidar.

Emília: E na verdade o dia 26 nem foi uma escolha nossa, era a única data que tinha na igreja, eu tentei dezembro e janeiro e todos os outros finais de semana estavam ocupados. Como eram 6 meses de antecedência era pouco tempo, porque normalmente os casamentos são planejados com um ano e meio, dois anos de antecedência e eu fui planejar em 6 meses. Então tudo o que tinha pra acontecer, aconteceu. Virei uma pilha de nervos, emagreci… Toda a correria, todo o stress, todo o nervosismo que podia acontecer, aconteceu. Foi um caos, mas no final tudo deu certo.

“Quais são as vantagens e as desvantagens de casar quando já se tem uma rotina à dois?”

Emília: Só ter que aguentar ele, muito chato, agora tem que aguentar pro resto da vida… (risos). Brincadeira…

Roberto: Assim, enquanto a gente namora fica difícil de você construir planos a longo prazo, mas muitas vezes as pessoas quando estão namorando elas são egoístas…

Emília: O que é meu é meu. O que é seu, é seu. O namoro é bem individualista, porque você não tem aquela responsabilidade de dividir tudo com a pessoa, a partir do momento que você casou, não tem mais meu dinheiro e seu dinheiro. Quando a gente namorava, eu nem sabia direito o quanto ele ganhava, hoje eu sei tudo. São coisas que o namoro permite “meu é meu, seu é seu, vai ser nosso lá na frente”, o casamento já não, no casamento tudo é nosso, tudo, desde um copo de água, até adotar um cachorro (Pipoca <3). E ao mesmo tempo que é uma vantagem, pra alguns pode ser desvantagem, mas pra gente é uma vantagem isso, porque a gente gosta dessa ligação. Eu não vejo desvantagem no casamento, a não ser a convivência, porque pode ser muito decepcionante pra alguns. Depois que a gente casou eu amo até os defeitos dele, porque casamento é isso, é amar até os defeitos da pessoa. Uma vez eu ouvi uma mulher falando que se a gente entra em um casamento pensando “eu vou casar pra ser feliz” já está aí a primeira coisa que seu casamento vai afundar, porque você não tem que casar pra ser feliz, você tem que casar pra fazer o outro feliz. Se eu fizer ele feliz, ele vai me fazer feliz, é recíproco. Agora se eu acordar pensando “Aí, eu vou ser feliz, ele tem que fazer tudo por mim” ou ele pensar a mesma coisa, não vai a lugar nenhum.

Roberto: E é quando você chega, por exemplo, de um dia de expediente que você fez umas horinhas a mais pra poder garantir uma folga pra poder passear, agradar a esposa e ela tá com um pudim esperando você em casa.

Emília: (risos) Mas é verdade, eu tenho que entender que como eu não estou trabalhando agora, que às vezes ele vai chegar cansado, que não vai me dar moral, atenção que eu quero, mas porque ele tá cansado, ele acordou 04h30 da manhã. Eu tenho que ver o que tá acontecendo e sempre conversar, falar “olha, não tá dando certo isso, não tá dando certo aquilo”.

“A Pipoca (baby dog do casal)! Era exatamente aí que eu queria chegar (risos). Uma pergunta que não quer calar nos grupos de Whatsapp e na roda dos amigos… Seria um treinamento? Pretendem ter filhos logo? #QueremosSobrinhos”

Emília: Não, a Pipoca foi birra de duas crianças que moram comigo, mas principalmente do meu marido, porque ele gosta, mas não cuida. Mas na verdade, a Pipoca veio também porque eu tava muito sozinha em casa, veio pra me alegrar e também porque o Roberto tava pior que criança. Eu já tinha dito mil vezes que não, fazia muito tempo que ele tava pedindo, um amigo chegou com a Pipoca, estava doando ela, todo mundo se apaixonou e a Pipoca ficou. Mas não é um treinamento por enquanto ainda não, só pra daqui uns 2, 3 anos, eu penso. Agora não dá, não porque eu não queira, eu sempre quis ser mãe, mas tô me cuidando, porque a gente não tem condição financeira agora. Se eu tivesse um pouquinho mais de condição, eu já estaria grávida sim, porque eu amo criança e meu sonho é ser mãe. Como diz o Roberto: O pacote de ração tá mais barato que o de fralda (risos). Vocês vão ter que esperar um pouquinho mais pelos sobrinhos, eles vêm, mas daqui uns anos.

“Qual conselho vocês dariam para pessoas que possam estar passando pela mesma situação, toda essa mudança e o planejamento?”

Emília: É complicado dar conselho, mas eu diria que se você acha que é o cara ou a mulher da sua vida, vai em frente. Não escuta, porque gente pra falar que não vai dar certo, pra falar que estão se precipitando, que vocês são muito novos, que tem pouco tempo de namoro, vai ter muita gente. Sempre tem gente pra falar que vocês estão errados, que não vai dar certo, são raras as pessoas que dão apoio verdadeiro, que falam pra gente seguir em frente, que vai dar certo, pra tentar. É como eu falei, mora um tempo junto antes, come um saquinho de sal (ministério da saúde adverte: sal em excesso causa sérios problemas ao rim) junto com a pessoa, conhece ela de verdade… Se for realmente tudo isso que você tá pensando durante o tempo de namoro, vai em frente e não olha pra trás. E não sai por aí “contando a bíblia” pra todo mundo, não, porque muita gente não tem nada pra agregar, que só quer escutar e desejar sua infelicidade. Então guarda a felicidade pra você e vai em frente.

Roberto: Gente pra torcer contra sempre vai ter, então o que a gente pode falar é: segue sua intuição, segue seu coração e segundo que, quando parecer que tudo vai desmoronar, quando tudo parecer que vai dar errado, se apoia na pessoa que você ama, no seu companheiro, na sua companheira, que vai dar tudo no que for fazer e, claro, colocar Deus sempre em primeiro lugar, porque nesse mundo hoje a gente tem um ao outro e Deus pra dar base. Quando tudo parecer que vai desmoronar a única mão amiga que você vai ter é do seu esposo, sua esposa e de Deus, que vai fazer dar tudo certo no fim das contas. Acho que esse é o maior conselho que a gente pode dar, porque se realmente for pra vida toda, é a pessoa que você vai poder se apoiar.

Emília: E se for a pessoa certa, não importa se você vai ter um mês, um ano, 10, 20 anos de namoro, se for pra ser, pode passar o tempo que for, acontecer o que for, vão ficar junto no final. Não adianta, não tem o que fazer. Quando é Deus, é e ponto. Não tem o que fazer. E tem que ser amor de verdade, não confundam amor com paixão. Paixão é aquele fogo que arde, só que acaba. O amor não, o amor muitas vezes não arde como fogo, ele se mantém como brasa, mas ele é permanente.

8706_922941224421083_2939585198141463546_n

E como esse post está muito recheado de amor, o casal deixou um recadinho um para o outro (e a pessoa que vos escreve quase chorou):

De: Emília, Para: Roberto!
Amor, estamos quase completando 2 anos juntos, parece pouco tempo, mas a gente sabe que é muito mais que isso. Agradeço à Deus todos os dias por ter me dado você, meu melhor presente. Espero que logo, logo esse nosso amor transborde tanto que gere nosso filho. Te amo e obrigada por me suportar, sei que não sou uma pessoa fácil, mas te amo demais e espero ficar o resto da vida com você. Te amo.

De: Roberto, Para: Emília!
Meu recado pra minha esposa é que eu nunca trocaria o que aconteceu por nada. Eu poderia viver umas mil vidas, em mil lugares diferentes, e ainda ia dar um jeito de a encontrar e amar com todas as minhas forças até o último suspiro. Com a Emília eu me sinto outro, mais forte, responsável, porque ela é e sempre vai ser meu porto seguro. Pra sempre. Nem todas as palavras existentes iriam expressar o que eu sinto por ela, então uma simples frase pode resumir: eu te amo, meu amor. Sempre vou amar. sempre vou estar do seu lado, não importa o que, onde ou quando!

Suspiros ~ Suspiros ~ Suspiros

Eu tive o prazer de fazer parte dessa história, mas não fui a única. Algumas dessas pessoas deixaram um recadinho para o casal (surpresa!):

De: Luana Lahmann e Alef Renye (padrinhos), Para: O casal!

img_1661-1

E quem diria que vocês se casariam assim, tão jovens, mas tenho certeza que vocês fizeram a escolha certa. Esperamos que vocês continuem exatamente assim, unidos, companheiros e, acima de tudo, felizes. E saibam que a vida é feita de momentos bons e ruins. Aproveitem intensamente os bons e sejam sempre unidos para superar os ruins. Parabéns por esse passo tão importante e de tamanha grandeza em suas vidas e que hoje e sempre sejam muito felizes.

De: Camila Reis (madrinha), Para: O casal!

Desde o momento em que a Emília e o Roberto assumiram esse compromisso tão importante de serem felizes juntos só posso desejar que todos os sonhos que eles compartilham se tornem realidade, e que este mesmo amor que os uniu se multiplique a cada dia desta nova vida. Fico muito lisonjeada por ser madrinha desse casal maravilhoso que eu amo, dos meus queridos amigos Emília e Roberto.

De: Eduardo Delli Colli (padrinho), Para: O casal!

1069318_969707709787276_2783042978879475298_n

“Fico muito feliz que vocês se encontraram tão cedo na vida. Agora vocês têm muito mais tempo para crescerem juntos e aprenderem mais sobre si mesmos. Vocês serão aqueles velhinhos que dão dicas de como fazer um casamento funcionar por 80 anos. Espero estar ao lado de vocês em todos as festas das bodas que vocês fizerem.”

Ps: Créditos para a minha mãe super fotógrafa que só tirou fotos minhas e do Eduardo de costas (e tremidas)! Hahahaha

De: Nayara Rosolen (madrinha), Para: O casal!

“Minha legenda nessa foto acima, postada no dia do casamento, ainda é o sentimento mais puro e sincero que eu poderia desejar a vocês, então… Um dia, em um churrasco dos amigos, ela me disse “Amiga, preciso te contar uma coisa, conheci uma pessoa!” Mal sabia eu que em menos de dois anos estaria sendo madrinha de casamentos dos dois! Todo amor e felicidade do mundo para vocês!”

❤ ❤ ❤

Não esqueçam de me deixar nos comentários ou por email (nayararosolen@hotmail.com) quais assuntos querem ver ou falar sobre aqui no blog, vou adorar trocar ideias com vocês!

 Vocês também podem me seguir nas redes sociais:

Snapchat: nayrosolen ↠ Facebook ↠ Instagram ↠ Twitter  

Beeeijos

Emprestando as palavras de: Tati Bernardi! 

Imagem: WeHeartIt

“Hoje eu acordei numa casa diferente, num quarto diferente, sem nenhuma muleta, sem nenhuma maquiagem, meus amigos estão ocupados, meus pais não podem sofrer por mim. Hoje eu acordei sem nada no estômago, sem nada no coração, sem ter para onde correr, sem colo, sem peito, sem ter onde encostar, sem ter quem culpar. Hoje eu acordei sem ter quem amar, mas aí eu olhei no espelho e vi, pela primeira vez na vida, a única pessoa que pode realmente me fazer feliz.”

Playlist da Semana: Melhores colabs de Calvin Harris!

É difícil encontrar alguém que não goste do som de Calvin Harris. O DJ e cantor só lança sucesso com artistas incríveis, que a gente ama. Então acho que não tem uma que eu diga “essa eu não curti”, mas umas acabam me ganhando mais que outras, é inevitável! Desde que conheci o trabalho dele, há alguns anos atrás, simplesmente me apaixonei pelas batidas que não deixam a gente ficar parado.

Harris participou de uma turnê da Rihanna e bombou depois de fazer uma colab com cantora na música We Found Love (que a propósito, eu amo!) em 2011:

 Depois disso, ele não só estourou como foi considerado o DJ mais bem pago nos anos de 2013 e 2014….. e não parou mais de lançar sucesso!

Calvin Harris -We’ll be coming back feat. Example

Calvin Harris – I Need Your Love – Ellie Goulding

Calvin Harris – Blame feat. John Newman 

Calvin Harris – Outside feat. Ellie Goulding 

Calvin Harris – How Deep Is Your Love feat. Disciples 

Mas, além das colaborações, também lançou muitas músicas que se tornaram grandes sucessos!

Calvin Harris – Feel So Close!

Calvin Harris – Summer!

E seu mais novo clipe postado na Vevo, que já conta com quase 50 milhões de visualizações em uma semana, é uma colaboração com quem ele começou: Rihanna!

Calvin Harris – This Is What You Came For feat. Rihanna

E vocês, também gostam desse estilo de música? Deixem aí nos comentários quais são as melhore para vocês!!!

 Vocês também podem me seguir nas redes sociais:

Snapchat: nayrosolen ↠ Facebook ↠ Instagram ↠ Twitter  

Beeeijos ❤

E foram felizes para sempre?

beijo

Sabe aqueles casais que nós pensamos serem perfeito juntos e já imaginamos os dois velhinhos andando de mãos dadas por aí?  Vejam bem, não estou falando daqueles típicos casais de propaganda de margarina, mas aqueles quais a gente percebe, nos olhares conectados, os sorrisos sincronizados, nos dedos entrelaçados, que o laço que os amarra é algo muito mais forte do que se pode ser visto por fora.

Então, de repente, eles chegam a conclusão de que já não são melhores juntos e o nosso mundo simplesmente desaba. Começamos a repensar todo aquele conceito que temos do amor (perceba como somos egoístas, jogando em cima de duas pessoas que estão apenas vivendo a vida da melhor forma que se pode, um peso tão grande como nossas expectativas). Errado eu sei. Mas é inevitável não soltar a famosa “Se eles não se casarem, tiverem filhos e viverem felizes para sempre eu desisto do amor”. Que amor é esse que desiste no primeiro escorregão? Coitado desse amor, que tem que viver às custas de como a gente quer que ele seja!

Ele vem, faz todo o seu trabalho como combinado e a gente ainda espera que ele faça hora extra, explorando algo que não tem mais nada a oferecer ou agregar. Daí nós reclamamos, que estamos cansados, que o sentimento está desgastado e que a desilusão já faz parte da família. Isso inclui nossas expectativas sobre algo que não depende de nós. Sem deixar espaço para que ele descanse e possa vir novamente, renovado e entregando o melhor de si.

Que os casais que a gente tanto ama, continuem em sã consciência, o suficiente para saberem a hora que já não podem ser felizes juntos. E não deixem que uma história linda, se torne apenas um borrão no passado.

Os contos de fada sempre dão um “felizes para sempre”, mas nunca explicam como ele realmente aconteceu. O “príncipe” pode ter sido apenas uma parte de uma vida inteirinha, cheia de chegadas e partidas.

Sem precisar deixar de ser feliz.

Nayara Rosolen