O famoso Flashback!

large (85)

Vamos combinar, às vezes a gente pede pra sentir um aperto. Você sabe que se procurar o estômago vai revirar, se começar a digitar os dedos podem começar a tremer e depois de apertar o “enter” então, esqueça… Cada segundo se parece horas e horas de espera. Aquele tremelique estranho que passa pelo corpo, o estômago que fica enjoado só de pensar em qual será a resposta, e se ela existirá. É tortura, mas a gente procurou por ela. Como se não bastasse, ainda rolam uns flashbacks que podem chegar com a força de te fazer esquecer tudo o que deveria ser feito. A vida para. Tudo gira em torno daquele momento, que logo em seguida pode se tornar um arrependimento. É aquilo de “não tenho mais nada a perder”, “e se eu tentar só mais uma vez?”,  “Tiveram tantos momentos legais, por que não reviver?”.

A gente gosta de sofrer mais um pouquinho, espremer até a última gota da esperança e achar que tudo pode ser como era antes. Nada pode ser como era antes. O antes ficou, o mundo já girou, a vida já seguiu, se a gente bobear os ponteiros do relógio fazem hélice e saem por aí voando. Mas a gente não desiste. Uma simples mensagem que vai te levar dias para superar, assim como dá última vez. A gente procurou por ela. De novo. E a gente começou a escrever sobre o mesmo assunto já citado várias vezes, afim de tentar se distrair. De novo.

É um ciclo que parece nunca acabar: os dois voltam a se falar, dizem não entender como tudo se tornou o que é hoje, prometem se reaproximar, lembram de algumas histórias, riem de certas situações. E fim. Sim, fim. Acabou. O “beijos, até amanhã” se torna “beijos, até o dia em que eu sentir falta e quiser relembrar o quanto o passado foi bom”. Não tem mais assunto, a confiança ou a vontade de contar cada detalhe do seu dia acabou enfraquecendo, novas coisas aconteceram, novas pessoas apareceram, você já não é a primeira pessoa pra quem ele vai contar sobre aquela pessoa que está de olho ou pedir conselho sobre o que deve fazer na hora da confusão dos sentimentos.

A vida é assim, mais do que um livro, é uma série deles. E a cada ponto final de uma última página, infelizmente, algum personagem acaba ficando pra trás ou perde o destaque. Você até olha pra trás e pergunta “Onde foi que a gente se perdeu?”, quando na verdade deveria focar nos momentos em que se encontraram e que, ali, a companhia um do outro era tudo o que importava, cada um com seu papel. Aquela mensagem foi só mais um instante de medo, saudade e desespero, imaginando poder nunca mais encontrar um porto como aquele.

Às vezes a gente se esquece que a vida está cheia de novos deles, basta a gente se libertar do que nos prende primeiro.

Nayara Rosolen.

Anúncios

7 comentários em “O famoso Flashback!

  1. Que texto mais tocante Nay, adorei!! E tem horas que a gente sente falta mesmo daquilo que ficou para trás e das pessoas que hoje não temos mais o contato como tínhamos antes 😢 mas a vida segue e novas oportunidades surgem e novas pessoas surgem e o que nos resta é a lembrança desses momentos vividos e a formação de novas :))
    Mais uma vez, amei o teu texto e super me identifico ❤️
    Um beijão!!

    Curtido por 1 pessoa

  2. É aquela coisa… quando você quer reviver o passado muitas das vezes conseguimos só quando as aventuras foram boas o sufciente para agente querer repetir mais uma vez e dessa vez será que vai ser tão boa quanto lá atrás?,vamos nos aventurar para ver. 😀

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s