Tarde demais!

large-15

O que fez eu gostar de você? Bem, a princípio era a empolgação de pela primeira vez ter encontrado alguém que se parecia tanto comigo em vários sentidos. Eu podia ser pra você aquilo que eu sempre vi como defeito e tentava esconder dos outros. Nunca precisei te agradar, nunca nem tentei fazer isso. Tudo fluía naturalmente.

Mas uma hora ou outra, dois gênios fortes tão iguais acabariam dando de cara um com o outro. E deram. Foi uma pancada. Do nada o trem parecia descarrilhar descontroladamente e não é como se um de nós fosse capaz de colocá-lo na linha novamente. Uma parede pareceu ser construída na nossa frente.

Mesmo assim, eu te conheço o suficiente pra saber exatamente o que se passava e o caminho que tudo estava destinado. Ainda que não fosse o do meu desejo, isso é uma das coisas que mais gosto em você: Te conhecer a ponto de saber quando você começa a se despedir das pessoas. Doeu.

Eu passei pela fase de negação. Quis que tudo fosse mentira. Meu lado pisciano fez uma tempestade. Enquanto isso, meu lado virginiano, mais vivo do nunca desde que te conheci, construía aos poucos uma barreira de ferro, além daquela parede já erguida – coisa tola de signo que às vezes parece fazer sentido.

Eu amava as músicas que passaram a ser relacionadas à você. E agora amo a forma como me fazem lembrar de tudo, como me transportam para aquela época.

Lembro do ano novo e seus áudios que fizeram uma virada mais iluminada. Da minha viagem de férias e a playlist que me acompanhou – carregando você. Cada data importante em que eu tentava te impressionar, e de como você tem registrado uma em especial. Cada vez que ficamos tempos sem nos falar, mas de alguma forma, algo nos aproximava de volta.

E é isso que mais dói. Essa partida lenta, como quem quer ficar, mas cada vez fica mais distante. Os silêncios. Os segredos. O desinteresse. A vontade. O sentimento. As lembranças. Infelizmente ninguém vive de passado.

Eu deveria estar dormindo e sei que vou me arrepender quando o despertador tocar. Mas no meio de tanta cobrança da vida no dia a dia, reviver alguns momentos na minha cabeça, de todos os sentimentos bons que você já me proporcionou, ainda parece ser uma boa fuga das confusões rotineiras.

Difícil é quando o suspiro de alívio se torna pesado, cansado, abafado. De saudade.

Quis te chamar, mas parecia tarde demais. No relógio e na vida.

bedo1

6 comentários sobre “Tarde demais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s